Parabenizamos a todos que exercem essa profissão tão essencial a sociedade.

Resultado de imagem para dia do geografo

 

 

Carta da AGB Nacional pelo dia do Geógrafo
 

CARTA AOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA

 
 

    Quem se dedica a ensinar as dinâmicas atmosféricas e explicitar os processos de formação das chuvas e como elas alteram nossa vida, nosso cotidiano e interferem nas formas de reprodução da vida social e natural? Quem aponta os elementos centrais que alteram o clima, tais como a latitude, a altitude, a precipitação, a temperatura, entre outros e que reflete com os estudantes sobre os resultados que emergem, quando tais fenômenos atmosféricos se apresentam com intensidade ou escassez? Neste momento, esse profissional, de forma dialógica, faz os alunos descobrirem que das chuvas intensas emergem a ausência de obras públicas de drenagem, as formas desiguais de ocupação do espaço, os fatores da renda da terra, da especulação imobiliária, as ocupações “irregulares” de fundos de vale ou das vertentes, e que resultam em movimentos de massa, e se desdobram em mortes que assolam as famílias desamparadas e desabrigadas.

 

Acesse o conteúdo completo pelo link: CARTA AOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA.pdf (131,7 kB)

 

 

Nota de apoio à luta dos estudantes secundaristas de Dourados


Nós, entidades abaixo relacionadas, vimos a público 
manifestar nossa solidariedade ao movimento dos secundaristas da rede pública de ensino de Dourados-MS, que recentemente, após ocupação da Escola Estadual Presidente Vargas, foram submetidos à ação policial de despejo. Suas pautas de reivindicação, quais sejam:
- contra a reforma da previdência;
- contra a retirada da literatura da grade curricular do
ensino médio;
- contra a privatização do ensino médio;
- contra o desmonte da CLT;
tais pautas representam demandas de interesse de estudantes, de profissionais da educação, dos trabalhadores e, de modo amplo, os interesses do povo brasileiro. São, portanto, legítimas e exemplo de cidadania e consciência política.
Enfrentamos na atualidade, um dos maiores ataques aos
direitos dos trabalhadores da nossa história e o momento atual é de união. As entidades abaixo relacionadas são também terminantemente contrárias à proposta em curso de reforma do ensino médio, contra a reforma trabalhista, contra as PEC 287 e 215 e a quaisquer tipos de violência e repressão, não somente à jovens estudantes, mas à quaisquer trabalhador ou trabalhadora que lutem por direitos constitucionais que se veem ameaçados por um governo ilegítimo.
Mantemos posicionamento de que lutar por direitos e
melhorias no ensino público, gratuito e de qualidade é compromisso de todos: estudantes, pais, professores, diretores de escola, trabalhadores, parlamentares, governantes e de toda a sociedade.

 

Dourados-MS, 04 de maio de 2017.
AGB – seção Dourados
ADUFDourados
Comitê de Defesa Popular de Dourados
 


O Grupo PET do Curso de Geografia UFGD em parceria com a AGB - Seção Dourados, convida a todos para a lV SEMANA DE GEOGRAFIA E Vlll EXPOGEO, que será realizada nos dia 27, 28 e 29 de Maio de 2015 no Auditório l da FCH 

 

Solidariedade aos Guarani e Kaiowá do acampamento Apyka´i em Mato Grosso do Sul

 

As disputas territoriais entre proprietários de terra e povos indígenas no Mato Grosso do Sul é um assunto complexo e espinhoso, mas que precisa ser assumido com seriedade e compromisso pela sociedade e pelos órgãos responsáveis, pois se trata de uma questão que diz respeito à vida e à dignidade humana. A grande maioria dos acampamentos indígenas existentes na porção meridional de Mato Grosso do Sul foram formados em decorrência do processo de expulsão dos Guarani e Kaiowá de seus territórios tradicionais. Muitas dessas famílias foram introduzidas compulsoriamente nas Reservas Indígenas criadas entre 1915 e 1928, porém, parte dessas famílias permaneceu em áreas de matas, nos fundos de fazendas ainda não ocupadas pelas frentes de expansão.

Essa situação se agrava a partir do final da década de 1970, quando se tem no sul do Estado, a ocupação mais intensiva da terra, baseado no cultivo intensivo do trigo e da soja e na pecuária melhorada. Nesse processo, a presença indígena nas áreas de mata foi negligenciada, já que era comum práticas de expulsões e perseguições dos Guarani e Kaiowá dos seus territórios de domínio e ocupação tradicional, obrigando-os a se deslocarem forçadamente em direção  às minúsculas e artificiais Reservas Indígenas criadas pelo Estado, cujas áreas não eram e nem são suficientes  para a sobrevivência das famílias.

Dessa forma, para reconquistar seus territórios, muitas famílias indígenas passaram a montar acampamentos, como é o caso dos Guarani e Kaiowá do acampamento Apyka´i, no município de Dourados-MS, que há mais de quinze anos vem reivindicando seu tekohá (território). Nesse longo período de luta pela sobrevivência, entre ocupações e despejos, por vezes, essas famílias foram removidas para a beira de estradas, o que tem levado a situações extremas de violências e mortes por assassinatos e atropelamentos. Atualmente, vivem numa pequena área de mata, (próxima à rodovia Dourados-Ponta Porã), onde, com muita dificuldade, procuram sobreviver.

As condições de vida degradantes ferem e afrontam a dignidade da pessoa humana. São homens, mulheres, crianças e jovens que mesmo invisibilizados e desprezados pela sociedade continuam lutando pelo direito de reaver o  seu tekohá. Os acampamentos como o de APYKA’I mostram a realidade desumana em que vive  o povo Guarani e Kaiowá de Mato Grosso do Sul, que apesar das condições de extrema miserabilidade, abandono e descaso do governo brasileiro   , com coragem e esperança resistem a todas as formas de  ameaças, perseguições, violências despejos  mortes.

Manifestamos nossa solidariedade e apoio às famílias que vivem no acampamento APYKA´I. Defendemos a suspensão imediata da ação de reintegração de posse em desfavor à comunidade Guarani e Kaiowá de APYKA´I. Esperamos que os órgãos competentes retomem imediatamente o processo de estudo para identificação e demarcação da área em litígio, garantindo às famílias o direito ao seu tekohá. E que essas famílias não sejam, mais uma vez, despejadas e jogadas às margens da BR 163.

Dourados, 13 de maio de 2014

 

AGB Seção Dourados

ADUFDOURADOS

CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS CATEQUISTAS FRANCISCANAS

Comitê de Defesa Popular

CIMI

 

ÚLTIMA EXPOGEO/2014 - Exposição acadêmico-científica e artístico-cultural do Curso de Geografia da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados)

O Grupo PET do Curso de Geografia UFGD em parceria com a AGB - Seção Dourados, convida a todos para a última EXPOGEO de 2014. Quinta-feira, dia 04/12, a partir das 19h, no Bloco B da FCH.

_______________________________

VII Congresso Brasileiro de Geógrafos (CBG)

A AGB e a Geografia brasileira no contexto das lutas sociais frente aos projetos hegemônicos


10 a 16 de agosto de 2014 – Vitória/ES


Segunda Circular


O Congresso Brasileiro de Geógrafos – CBG – realiza-se a cada 10 anos desde 1954, reunindo geógrafos (estudantes de graduação e pós-graduação, professores da educação básica e do ensino superior, pesquisadores, técnicos e todos aqueles que pensam e agem no mundo a partir da Geografia) de
todo Brasil para debater os rumos da Geografia brasileira e da AGB. Em sua VII edição, a se realizar em Vitória/ES entre 10 e 16 de agosto de 2014, no Campus de Goiabeiras da Universidade Federal do Espírito Santo(UFES), Av. Fernando Ferrari, No 514, Goiabeiras, Vitória/ES. O CBG terá como tema “A AGB e a Geografia brasileira no contexto das lutas sociais frente aos projetos hegemônicos”.
No momento histórico que o país atravessa, com grandes manifestações populares que colocam em questão o modelo de desenvolvimento brasileiro, a AGB se soma aos que, nas ruas, nas salas de aula, no seu cotidiano buscam contribuir para a construção de uma sociedade mais democrática, justa e igualitária. Neste sentido, vislumbramos o VII CBG como um processo que abrange temporalidades (i) de balanço dos últimos 10 anos (da entidade, da sociedade e da geografia brasileira), (ii) de projeção de 10 anos para o futuro, e (iii) de um ano e meio de organização do evento. Nesta perspectiva estamos solicitando à comunidade geográfica contribuições para a construção do CBG em torno de três eixos: 1) A AGB e a Sociedade; 2) A AGB e sua
institucionalidade; 3) A AGB e a Geografia brasileira.

 


Para isto, estamos propondo um CBG com as seguintes atividades:

EDPs – Espaços de Diálogos e Práticas
GTs – Grupos de Trabalhos
ESC – Espaços de socialização de coletivos
TCs – Trabalhos de Campo
MRs – Mesas Redondas
Atividades Culturais
Manifestação
Plenárias Políticas
Plenária Final
Assembleia das Locais
Diálogo de Abertura

 

Estas atividades estarão dispostas da seguinte forma na programação do Congresso:

  6 (dom) 7 (seg) 8 (ter) 9 (qua) 10 (quin) 11 (sex) 12 (sáb)
Manhã Credenciamento EDP EDP Trabalho de Campo/ESC EDP EDP Plenária Final
Tarde Credenciamento GT GT Trabalho de Campo/ESC

GT
17h - Manifestação

Assembleia das Locais
Fórum de GTs
Plenária Política
Noite Abertura Plenária Política Mesa Mesa

A construção coletiva do CBG, iniciada na Plenária Final do XVII ENG em Belo Horizonte e aprofundada nas Reuniões de Gestão Coletiva ao longo do último ano, seguirá o seguinte calendário:


Prazo para envio de Resumos para os EDPs– 07/04/2014
Prazo para envio dos Trabalhos Completos para os EDPs – 05/06/2014
Prazo para Envio de Propostas de ESCs, TCs e GTs – 04/05/2014


Na 116ª RGC foram definidos os Eixos em torno dos quais serão agrupadas as Mesas Redondas que serão os seguintes:

1 – No tempo e no espaço: a AGB e a formação política do geógrafo
2 – A Geografia e a educação no Brasil
3 – A ciência geográfica e o diálogo de saberes
4 – Geografia e movimentos de insurgência e emancipação
5 – Geografias dos grandes projetos territoriais
6 – Espaço urbano, mobilidade e lutas pela apropriação da cidade
7 – Geografia e a questão de gênero

As comissões responsáveis pelas atividades do VII CBG serão compostas inicialmente pelas seguintes Seções Locais:
Comissão Local do CBG – AGB Vitória, Departamento e Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFES, Centro Acadêmico Livre de Geografia e Centro de Ciências Humanas e Naturais;
Comissão de EDPs – AGBs Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba;
Comissão de GTs – AGBs Rio, Niterói, Catalão, Aracaju e Recife;
Comissão de ESCs – AGB Dourados;
Comissão de TCs – AGBs Vitória, Belo Horizonte e São Paulo;
Comissão de MRs – AGBs São Paulo e Campinas;
Comissão de Infraestrutura – AGBs Vitória e Belo Horizonte;
Comissão de Alojamento – AGBs Vitória e Belo Horizonte;
Comissão de Monitoria – AGBs Belém, Marechal Cândido Rondon, Vitória e São Luiz
Comissão de Comunicação e Ouvidoria – AGBs Juiz de Fora, Vitória, Belo Horizonte e São Luiz;
Comissão de Atividades Culturais – AGBs Vitória e Recife;
Comissão de Manifestação – AGBs Vitória, Maringá, São Paulo e São Luiz;
Comissão de Identidade Gráfica – AGBs Curitiba e Belo Horizonte.

Outras Seções Locais poderão se agregar ao trabalho das Comissões até o CBG, assim como durante o mesmo.

Com essa 2ª Circular convidamos a comunidade geográfica a se inserir, através de suas Seções Locais, no processo de construção do VII CBG.

Diretoria Executiva Nacional – 2012/2014

 

http://www.agb.org.br/index.php/component/content/article/56-informes/agb/118-2-circular-do-cbg-2014

__________________________________________________________________________

29/01/2014 21:00

 

ANUIDADE 2014
 
Os talonários para Associação e pagamento da anuidade já estão disponível. Os interessados devem procurar a Jussara no Laboratório de Geografia Fisica no período vespertino ou noturno ou a Isis discente do Curso de Geografia Bacharelado e do Programa de Mestrado em Geografia.
 
 
Dourados - MS, 29 de Janeiro de 2014.
 
 

__________________________________________________________________________

11/12/2013 23:00

 

NOTA DE REPÚDIO À VIOLÊNCIA
E DE APOIO AOS POVOS INDIGENAS
 
As entidades abaixo relacionadas vêm publicamente manifestar seu repúdio contra o chamado "leilão da resistência", contra as supostas ameaças de morte feitas ao presidente da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e contra toda forma de violência física e simbólica aos povos indígenas.
A realização de leilões para supostamente financiar a contratação de milícias armadas para atuarem nas propriedades onde os indígenas reivindicam seus territórios tradicionais, exacerba as situações de violência contra os povos originários, transformando os campos sul-mato-grossenses em palco de guerra.
As ameaças de morte efetuadas contra o presidente da FETEMS, bem como a intolerância étnico-racial e toda forma de violência contra os povos originários, explicitam a face arcaica e perversa de como a questão agrária é tratada em Mato Grosso do Sul, onde a terra, como negócio, é compreendida como sendo mais importante do que a vida de seres humanos.
A situação de ameaças e violências também são expressão da omissão do Estado brasileiro, sobretudo do Governo Federal (em especial do Ministério da Justiça) e do governo estadual, que tem apresentado comportamento inconsistente sobre a questão.
Que todas as formas de ameaça e violência sejam apuradas e os responsáveis devidamente julgados.
Pela DEMARCAÇÃO IMEDIATA DAS TERRAS INDÍGENAS!
 
 
Dourados - MS, 11 de Dezembro de 2013.
 
Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB-Dourados) - DCE/UFGD - DCE/UEMS - SINTA/UEMS - SISTA/UFGD - Sindicato ADUEMS - Sindicato AdufDourados – MMM - Marcha Mundial das Mulheres (MMM) - Movimento Sem Terra (MST) - Movimento Popular de Mulheres (MPM) – SINTRAE- Sul/Dourados – Sindicato Dos Eletricitários (SINERGIA) – Sindicato. Dos Trabalhadores em Correios (SINTEC) – Sindicato Dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação – Sindicato Dos Trab. em Telecomunicações – (SINTTEL) – Sindicato dos Vigilantes de Dourados – Sindicato Dos Trab. em Previdência (SINTSPREV) - Sindicato Comerciários de Dourados (SECOD) - Sindicato dos Bancários de Dourados e Região (SEEBD) - Sindicato do Moto taxistas de Dourados- Movimento do Trato da Coisa Publica (METRA) - Comissão Indigenista Missionária (CIMI) – Associação de Mulheres Indígena de Dourados (AMID) – Associação dos Quilombolas de Itahum – Sindicato Dos Trabalhadores em Enfermagem (SIEMS) – Sindicato Dos Trabalhadores Rurais de Dourados - Sindicato Dos Trab. em Empresas de Asseio e Conservação – Sindicato Dos Servidores Municipais de Dourados (SINSEMD) - SIMTED/Dourados - Sindicato da Construção Civil de Dourados.
__________________________________________________________________________
 

Homenagem ao Dia do Professor

15/10/2013 19:36

        

 

Dourados-MS, 15 de Outubro de 2013.

AGB (Associação dos Geógrafos Brasileiros)

_____________________________________________________________________________________________

 

NOTA DE REPÚDIO

03/06/2013 18:50

        

As entidades abaixo relacionadas vêm a público manifestar seu repúdio e indignação às práticas de crime, barbárie, intolerância étnico-racial e todas as formas de violência contra a vida e a dignidade humana. A situação de mais um indígena assassinado envolvendo as polícias Federal e Militar da região de Sidrolândia-MS expõe, novamente, no cenário mundial, o nível em que continuam sendo tratadas as questões que envolvem a propriedade da terra e a sua apropriação no Mato Grosso do Sul. Desta vez, um jovem de 35 anos, Oziel Gabriel, da Aldeia Córrego do Meio, município de Sidrolândia-MS, que foi brutalmente assassinado quando da reintegração de posse da fazenda Buriti no mesmo município, onde estavam acampados. Tal situação envergonha a todos os não índios, envergonha as autoridades competentes, envergonha o Estado brasileiro. Esperamos que o crime seja apurado e o(s) criminoso(s), devidamente julgados, nos termos da lei. Para finalizar, reiteramos que, o horror ocorrido, denuncia, evidencia e reafirma a urgência no processo de identificação, delimitação e demarcação das terras indígenas para a reprodução da existência guarani e para a redução da violência contra esse povo.

 

Dourados-MS, 03 de Junho de 2013.

 

AGB (Associação dos Geógrafos Brasileiros)

AGB – Seção Dourados/GT Agrária

TERRHA (Grupo de Estudos sobre Território e Reprodução Social)

LEUA (Laboratório de Estudos Urbanos e Agrários-UFGD)

_____________________________________________________________________________________________

Dia do Geógrafo tem homenagem na UFGD

29/05/2013

 

Em comemoração ao dia do Geógrafo a Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Dourados prestará homenagem ao Professor Mário Geraldini in memorian que muito contribuiu para construção e manutenção da Geografia na região de Dourados, sobretudo na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e posteriormente Universidade Federal da Grande Dourados.

Além da homenagem, em conjunto com a coordenação do curso de Graduação e Pós-Graduação em geografia da UFGD organiza no período da tarde às 14h atividades da EXPOGEO no Hall de entrada da FCH unidade II da UFGD e no período noturno no Auditório da FCA às 19h a palestra: “A figura do Geógrafo nos tempos atuais: experiências e reflexões" com os Professores Marcos Leandro Mondardo e Adriano Chaves de França.

Esta atividade é alusiva ao Dia do Geógrafo e também faz parte das comemorações dos 30 anos do curso de geografia da UFGD.

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros

Seção Dourados

_____________________________________________________________________________________________

Orientações sobre como se associar à AGB Seção Dourados


Para as pessoas fora de Dourados devem procurar a Seção da AGB da sua cidade, caso não haja pode seguir o procedimento para se associar à AGB Seção Dourados;
Caso tenha disponibilidade, ir à FCH/UFGD Unidade II e procurar Jussara (Laboratório de Geografia Física) ou Isis (Acadêmica do curso de Geografia), lembrando que a associação se dará mediante pagamento da taxa definida para anuidade de 2013 (R$60,00 para profissionais e R$30,00 para alunos de graduação).
Aqueles que residem fora de Dourados e queiram se tornar sócio ou quitar sua anuidade de 2013 devem acessar o site: http://agb-dourados.webnode.com.br/associe/ e seguir os procedimentos.

_____________________________________________________________________________________________

 

NOTA DE REPÚDIO

22/02/2013 19:08


 

As entidades abaixo relacionadas vêm a público manifestar seu repúdio às práticas de crime, barbárie, intolerância étnico-racial e todas as formas de violência contra a vida e a dignidade humana. A situação de mais um indígena assassinado envolvendo fazendeiro da região expõe, novamente, no cenário mundial, o nível em que continuam sendo tratadas as questões que envolvem a propriedade da terra e a sua apropriação no Mato Grosso do Sul. Desta vez, um jovem adolescente de 15 anos, Denilson Barboza, da Aldeia Tey’iKue, município de Caarapó-MS, que foi brutalmente assassinado quando foi pescar numa fazenda. Tal situação envergonha a todos os não índios, envergonha as autoridades competentes, envergonha o Estado brasileiro. Esperamos que o crime seja apurado e o(s) criminoso(s), devidamente julgados, nos termos da lei. Para finalizar, reiteramos que, o horror ocorrido, denuncia, evidencia e reafirma a urgência no processo de identificação, delimitação e demarcação das terras indígenas para a reprodução da existência guarani e para a redução da violência contra esse povo.

Dourados-MS, 22 de fevereiro de 2013.

 

AGB (Associação dos Geógrafos Brasileiros)

AGB - Seção Dourados / GT Agrária

TERRHA (Grupo de Estudos sobre Território e Reprodução Social)

LEUA (Laboratório de Estudos Urbanos e Agrários - UFGD)

 

Notícias

Professora da FCH é aprovada por banca como Professora Titular

16/05/2017 13:34
No último dia 11 de maio, as 13h30m, na FCH, ocorreu a banca, com vistas a progressão a professora titular (último nível da carreira de magistério superior das Universidades Federais), da professora do Curso de Geografia da UFGD, Maria José Martinelli Silva Calixto. Maria José é a primeira docente...

Manifestantes acampados sabatinam deputado sobre reforma

15/05/2017 20:37
O deputado federal Geraldo Resende (PSDB) está reunido, neste momento, com os manifestantes que estão acampados desde quarta-feira (15) em frente ao seu escritório em Dourados. O parlamentar foi ao encontro da manifestação e reiterou seu posicionamento contrário a alguns pontos da proposta,...

Greve contra reforma deixa 100 mil alunos sem aula em Dourados e Capital

15/05/2017 20:36
A greve por tempo indeterminado deixa quase 100 mil estudantes fora das escolas; pelo menos 40 mil em Dourados e outros 55 mil em Campo Grande. A paralisação em massa, em nível nacional, e que também atinge outras categorias, ocorre como forma de pressão contra a as reformas trabalhista e...

Relatório avalia como a PEC 215 pode paralisar reconhecimento de TIs

15/05/2017 20:27
Estudo produzido pelo ISA revela impactos da possível aprovação da proposta que quer transferir do governo federal ao Congresso a última palavra sobre o reconhecimento de Terras Indígenas, Unidades de Conservação e de Territórios Remanescentes de Quilombos O estudo Impactos da PEC 215/2000...